Life Style

ONU preocupada com prisões de mulheres e meninas afegãs pelo Talibã por supostas violações do lenço de cabeça islâmico

CABUL, Afeganistão (AP) – A missão das Nações Unidas no Afeganistão disse quinta-feira que estava profundamente preocupada com as recentes prisões arbitrárias e detenções pelo governo Talibã de mulheres e meninas por supostamente violarem os códigos de vestimenta sobre o lenço islâmico, ou hijab.

A missão disse que estava a investigar alegações de maus-tratos a mulheres e extorsão em troca da sua libertação, e alertou que a violência física e as detenções eram humilhantes e perigosas.

O Talibã disse na semana passada que policiais femininas têm levado mulheres sob custódia por usarem “hijab ruim”.

Foi a primeira confirmação oficial de repressão às mulheres que não seguem o código de vestimenta imposto pelos Taliban desde que regressaram ao poder em 2021 – uma repressão que ecoou os acontecimentos no vizinho Irão, que viu meses de protestos em 2022 e há muito que aplica o hijab obrigatório.

O comunicado da ONU afirma que as campanhas de aplicação do hijab na capital, Cabul, e na província de Daykundi estão em curso desde 1 de Janeiro, com um grande número de mulheres e raparigas avisadas e detidas. A missão também disse que as mulheres de minorias religiosas e étnicas parecem ser afetadas de forma desproporcional.

“As medidas de aplicação da lei que envolvem violência física são especialmente humilhantes e perigosas para as mulheres e raparigas afegãs”, disse Roza Otunbayeva, enviada especial da ONU e chefe da missão.

“As detenções acarretam um enorme estigma que coloca as mulheres afegãs em risco ainda maior”, disse ela. “Eles também destroem a confiança pública.”

O porta-voz principal do Taliban, Zabihullah Mujahid, disse que a preocupação da ONU com as mulheres afegãs era injustificada e rejeitou as suas preocupações.

“As mulheres afegãs usam o hijab por vontade própria”, disse ele no X, anteriormente conhecido como Twitter. “Eles não precisam ser forçados. O Ministério do Vício e da Virtude também não forçou ninguém (a usar o hijab).

Em Maio de 2022, os talibãs emitiram um decreto apelando às mulheres para mostrarem apenas os olhos e recomendando que usassem a burca da cabeça aos pés, semelhante às restrições durante o seu anterior governo do país, entre 1996 e 2001.

Um porta-voz do Ministério do Vício e da Virtude, Abdul Ghafar Farooq, rejeitou na quinta-feira relatos de que mulheres e meninas estavam sendo presas ou espancadas por usarem “hijab ruim” e chamou isso de propaganda da mídia estrangeira.

Source link

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button