News

Franz Beckenbauer, vencedor da Copa do Mundo como jogador e técnico alemão, morre aos 78 anos

Franz Beckenbauer, que venceu a Copa do Mundo como jogador e técnico e se tornou uma das personalidades mais queridas da Alemanha com seu charme descontraído, morreu. Ele tinha 78 anos.

A morte de Beckenbauer foi anunciada pela primeira vez através de um comunicado de sua família para a agência de notícias alemã dpa e então confirmado pela Federação Alemã de Futebol.

“É com profunda tristeza que anunciamos que meu marido e nosso pai, Franz Beckenbauer, faleceu pacificamente enquanto dormia ontem, domingo, cercado por sua família”, afirmou a família em seu comunicado. “Pedimos que nos seja permitido sofrer em paz e que sejamos poupados de quaisquer perguntas.”

A declaração não forneceu a causa da morte. O ex-grande jogador do Bayern de Munique, que ficou carinhosamente conhecido como “Kaiser” – ou “Imperador” – lutou contra problemas de saúde nos últimos anos.

Beckenbauer foi uma das figuras centrais do futebol alemão. Como jogador, ele reinventou o papel do zagueiro no futebol e foi capitão da Alemanha Ocidental na conquista do título da Copa do Mundo de 1974, depois de ter perdido para a Inglaterra na final de 1966.

O jogador de futebol da Alemanha Ocidental, Franz Beckenbauer, sorri de alegria ao ser abraçado pelo técnico Helmut Schon, depois que seu time derrotou a Holanda por 2 a 1 e conquistou a Copa do Mundo de 1974.
O jogador de futebol da Alemanha Ocidental, Franz Beckenbauer, sorri de alegria ao ser abraçado pelo técnico Helmut Schon, depois que seu time derrotou a Holanda por 2 a 1 e conquistou a Copa do Mundo de 1974.

Imagens Keystone/Getty


Ele era o treinador quando a Alemanha Ocidental venceu novamente o torneio em 1990, um momento simbólico para um país em plena reunificação, meses depois da Muro de Berlim caiu.

“O 'Kaiser' foi um dos melhores jogadores que o nosso esporte já viu”, disse o presidente da federação alemã de futebol, Bernd Neuendorf. “Com sua leveza, elegância e visão, ele estabeleceu padrões em campo. … Franz Beckenbauer deixa um grande legado para a federação e para o futebol como um todo.”

O chanceler alemão, Olaf Scholz, escreveu nas redes sociais que Beckenbauer “inspirou gerações de entusiasmo pelo futebol alemão. Sentiremos falta dele”.

Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional, chamou Beckenbauer de “uma lenda do esporte muito além do futebol”.

“Para mim, pessoalmente, ele foi um amigo próximo e leal por mais de quatro décadas, alguém em quem você sempre pode confiar”, disse Bach em comunicado. postado nas redes sociais.

A morte de Beckenbauer ocorre apenas dois dias após o anúncio de que Mario Zagallo, o brasileiro que se tornou a primeira pessoa a vencer a Copa do Mundo como jogador e treinador, havia morrido aos 92 anos. Deschamps.

Beckenbauer também foi fundamental para trazer a bem-sucedida Copa do Mundo de 2006 para a Alemanha, embora seu legado tenha sido posteriormente manchado por acusações de que ele só conseguiu ganhar os direitos de sede com a ajuda de suborno. Ele negou as acusações.

“Não queríamos subornar ninguém e não subornamos ninguém”, escreveu Beckenbauer, que chefiou o comitê organizador da Copa do Mundo, em sua última coluna para o tablóide diário Bild em 2016.

Franz Beckenbauer, presidente do comitê organizador da Copa do Mundo da Alemanha, brinca com uma bola de futebol dourada durante uma apresentação perto do Portão de Brandemburgo, em Berlim, Alemanha, em 18 de abril de 2006.
Franz Beckenbauer, presidente do comitê organizador da Copa do Mundo da Alemanha, brinca com uma bola de futebol dourada durante uma apresentação perto do Portão de Brandemburgo, em Berlim, Alemanha, em 18 de abril de 2006.

Reuters/Tobias Schwarz


Beckenbauer e três outros membros do comité foram formalmente considerados suspeitos de crimes nesse ano por procuradores suíços que suspeitavam de fraude no verdadeiro propósito dos pagamentos multimilionários que ligavam o Campeonato do Mundo de 2006 à FIFA. Mas acabou não sendo indiciado em 2019 por motivos de saúde e o caso terminou sem julgamento quando o prazo de prescrição expirou em 2020, em meio a atrasos no sistema judiciário causados ​​pela pandemia do coronavírus.

Beckenbauer foi brevemente suspenso em 2014 pelo comitê de ética da FIFA de todas as atividades relacionadas ao futebol por não cooperar com a investigação do promotor Michael Garcia sobre suposta corrupção nas votações da Copa do Mundo de 2018 e 2022. A suspensão foi suspensa durante a Copa do Mundo de 2014 no Brasil, quando ele concordou em cooperar.

As alegações prejudicaram pela primeira vez a posição de Beckenbauer na percepção pública. Até então, Beckenbauer aparentemente não conseguia dizer ou fazer nada de errado. Os alemães simplesmente o amavam.

“Ele fez tudo o que um alemão não deveria fazer”, disse certa vez o ex-companheiro de equipe do Bayern de Munique, Paul Breitner, sobre Beckenbauer.

“Ele se divorciou, deixou os filhos, fugiu com a namorada, teve problemas com cobradores de impostos, deixou a namorada de novo.

“Mas ele é perdoado por tudo porque tem um bom coração, é uma pessoa positiva e está sempre pronto para ajudar. Ele não esconde suas fraquezas, não varre seus erros para debaixo do tapete”, disse Breitner.

Filho de um funcionário dos correios do bairro operário de Giesing, em Munique, Beckenbauer se tornou um dos maiores jogadores a agraciar o jogo em uma carreira que também incluiu passagens pelos Estados Unidos com o New York Cosmos no final dos anos 1970 e início dos anos 1980. .

O astro do futebol brasileiro aposentado Pelé, à esquerda, dá as boas-vindas ao jogador de futebol alemão Franz Beckenbauer de volta ao New York Cosmos. Beckenbauer assinou pela primeira vez com o Cosmos em 1977 e jogou novamente pelo time em 1983.
O astro do futebol brasileiro aposentado Pelé, à esquerda, dá as boas-vindas ao jogador de futebol alemão Franz Beckenbauer de volta ao New York Cosmos. Beckenbauer assinou pela primeira vez com o Cosmos em 1977 e jogou novamente pelo time em 1983.

Betmann


Nascido em 11 de setembro de 1945, meses após a rendição da Alemanha na Segunda Guerra Mundial, Beckenbauer estudou para se tornar vendedor de seguros, mas assinou seu primeiro contrato profissional com o Bayern aos 18 anos.

“Você não nasceu para se tornar uma estrela mundial em Giesing. O futebol para mim foi uma libertação. Olhando para trás, posso dizer: tudo correu de acordo com como eu imaginava minha vida. Tive uma vida perfeita”, disse Beckenbauer ao Sueddeutsche revista de jornal em 2010.

Beckenbauer personalizou a posição de “líbero”, o zagueiro nominal e livre que muitas vezes avançava para ameaçar o gol do adversário, uma função agora praticamente desaparecida do futebol moderno e raramente vista antes de seus dias.

Jogador elegante, descolado e com visão, Beckenbauer definiu como capitão o time do Bayern de Munique que conquistou três títulos consecutivos da Copa da Europa, de 1974 a 1976.

Em sua primeira Copa do Mundo como jogador, em 1966, a Alemanha Ocidental perdeu a final para a anfitriã Inglaterra, enquanto Beckenbauer perseguia Bobby Charlton pelo campo, tendo recebido a tarefa de marcar o destaque da Inglaterra.

Quatro anos depois, com o braço amarrado ao corpo devido a uma lesão no ombro, a Alemanha perdeu uma semifinal memorável para a Itália.

Finalmente, em 1974, em casa, Beckenbauer foi o capitão da Alemanha Ocidental na conquista do título.

Beckenbauer trocou o Bayern por Nova York em 1977 e mais tarde relembrou com carinho o tempo que passou nos Estados Unidos.

“De Munique-Giesing para Nova Iorque, foi um grande passo”, disse Beckenbauer.

Beckenbauer disse que o passo decisivo para atraí-lo para o Cosmos foi o passeio de helicóptero que os dirigentes do clube lhe deram do telhado do edifício Pan Am, em Manhattan, até o estádio dos Giants, em Nova Jersey.

“Na época, aquele era o estádio mais moderno do mundo, com camarotes VIP. Não tínhamos isso na Europa. Enquanto sobrevoávamos o estádio, eu disse a eles: 'Tudo bem, parem com isso, estou indo'”.

Nessa entrevista de 2010, Beckenbauer também relembrou visitas a famosas casas noturnas Estúdio 54 com outras estrelas do Cosmos, Pelé e Carlos Alberto.

Beckenbauer perdeu a Copa do Mundo de 1978 porque os alemães decidiram não convidar jogadores que jogassem no exterior. Ele retornou à Alemanha em 1980, passou duas temporadas no Hamburger SV – e venceu outro campeonato da Bundesliga, o quinto – antes de retornar para uma última temporada no Cosmos.

Embora nunca tivesse treinado antes, Beckenbauer foi contratado para reviver a Alemanha Ocidental em 1984, após um fracasso no Campeonato Europeu.

A Alemanha Ocidental chegou à final da Copa do Mundo de 1986, perdendo para a Argentina de Diego Maradona na Cidade do México. Embora a Alemanha Ocidental não tenha conseguido conquistar o título da Euro de 1988 em casa, chegou à final da Copa do Mundo de 1990 e derrotou a Argentina na final em Roma, outro destaque no ano após a queda do Muro de Berlim.

O gol de pênalti veio de Andreas Brehme, um zagueiro que Beckenbauer disse uma vez para “tocar piano, tocar flauta, mas não futebol”.

Enquanto sua equipe comemorava, Beckenbauer parecia uma figura solitária caminhando e refletindo no Estádio Olímpico.

Mais tarde, na conferência de imprensa, ele disse que “sentia desculpas pelo resto do mundo” porque uma Alemanha unida seria imbatível nos próximos anos. Mas a Alemanha teve de esperar 24 anos antes conquistando outro título da Copa do Mundo.

Depois que partiu para Nova York, Beckenbauer nunca mais teve casa em Munique. Ele morava do outro lado da fronteira, no resort alpino austríaco de Kitzbuehel, onde os impostos eram mais baixos.

Beckenbauer era um viajante voraz e visitou pessoalmente todos os 31 países que se classificaram para a Copa do Mundo da Alemanha em 2006.

Beckenbauer disse que sentiu vontade de viajar quando criança, colecionando fotos para um álbum de figurinhas. “Havia fotos da África, da América. Isso me interessou… mas nunca pensei que experimentaria isso pessoalmente.”

“Há muitos que viajam, mas não veem nada porque estão muito ocupados. Sempre tive curiosidade”.

Beckenbauer aposentou-se do cargo na Alemanha Ocidental depois de treinar o time na vitória na Copa do Mundo de 1990. O Muro de Berlim tinha caído no ano anterior e a Alemanha estava em processo de reunificação após a Guerra Fria. A final foi o último jogo do torneio disputado por uma equipe exclusiva da Alemanha Ocidental.

Não teve muito sucesso como treinador do Marselha, mas conquistou o título da Bundesliga com o Bayern em 1994 e a Taça UEFA em 1996, ambos depois de assumir o cargo de treinador no final da temporada. Mais tarde, ele se tornou presidente do Bayern, até deixar a maioria das funções quando completou 65 anos em 2010.

As questões jurídicas de Beckenbauer em torno da Copa do Mundo de 2006 continuaram até sua aposentadoria, mas ele continuou sendo uma figura muito querida no futebol e na sociedade alemã.



Source link

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button