News

Ucrânia diz que Rússia lançou uma série de ataques com mísseis em todo o país

O ataque em massa ocorreu antes da visita do novo ministro das Relações Exteriores da França a Kiev.

A Rússia lançou dezenas de ataques em toda a Ucrânia durante a noite, disse a Força Aérea Ucraniana, enquanto Kiev continuava os seus esforços diplomáticos para aumentar o apoio e a ajuda militar.

“Foram registados um total de 40 meios de ataque aéreo inimigo”, disse a Força Aérea no sábado, acrescentando que destruiu oito mísseis. “Mais de 20 dispositivos” não conseguiram atingir os seus objectivos devido a “medidas activas por meio de guerra electrónica”.

A Rússia disse que destruiu todos os alvos numa série de ataques a instalações produtoras de munições e drones na Ucrânia.

O Ministério da Defesa em Moscovo disse que as suas forças armadas “realizaram um ataque em grupo… contra instalações do complexo militar-industrial ucraniano”.

Ele disse que tinha como alvo locais que produziam granadas, pólvora e veículos aéreos não tripulados. “Todas as instalações designadas foram atingidas”, acrescentou.

Nenhuma morte foi relatada até o momento, mas as autoridades ucranianas disseram que um civil ficou ferido na região nordeste de Sumy.

De acordo com a força aérea ucraniana, a Rússia disparou mísseis Kinzhal, talvez o míssil convencional russo mais difícil de abater, movendo-se a uma velocidade várias vezes superior à do som.

Os mísseis foram abatidos em pelo menos cinco regiões da Ucrânia, segundo autoridades locais dessas províncias.

A polícia da região norte de Chernihiv publicou uma foto de uma grande cratera criada por um míssil abatido.

“Como resultado do impacto dos destroços de um míssil inimigo, várias casas particulares e edifícios não residenciais foram danificados, um edifício foi praticamente destruído”, escreveu a polícia, acrescentando que um cão foi morto, mas ninguém ficou ferido.

A força aérea da Polônia, vizinha da Ucrânia, disse que ativou brevemente os sistemas de defesa aérea devido ao aumento do nível de ameaça.

Os ataques ocorreram quando o recém-nomeado ministro das Relações Exteriores da França, Stephane Sejourne, chegou a Kiev no sábado para sua primeira viagem oficial ao exterior, em um sinal de apoio enquanto a invasão russa da Ucrânia se aproxima do seu segundo ano.

Stephane Sejourne (centro) e Dmytro Kuleba, à direita, caminham para entrar no prédio do Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia, no centro de Kiev [Roman Pilipey/AFP]

Falando em entrevista coletiva em Kiev, o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, elogiou Sejourne por não “se sentir intimidado pelo mais recente ataque de mísseis em grande escala da Rússia” e por ter chegado à capital ucraniana logo após sua nomeação na quinta-feira, o que ele disse “diz muito sobre as prioridades da política externa da França”.

Sejourne confirmou que a sua visita foi uma “mensagem aos ucranianos”.

“A Ucrânia é e continuará a ser a prioridade da França”, disse ele. “A nossa determinação está intacta, assim como a nossa admiração pela coragem do povo ucraniano durante este período difícil.”

Ele acrescentou que trabalharia nos próximos dias e semanas para resolver questões jurídicas bilaterais e da União Europeia para ajudar as empresas francesas a estabelecer mais instalações de produção militar na Ucrânia, sem dizer quais eram essas questões jurídicas.

Sejourne também incentivou as empresas francesas a investirem na Ucrânia, mencionando os sectores dos transportes, energia, telecomunicações e água.

A visita segue-se à do primeiro-ministro britânico Rishi Sunak na sexta-feira, onde revelou novo financiamento militar para a Ucrânia e garantiu ao país que o Ocidente ainda está a fornecer apoio.

Sunak e o presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy assinaram um acordo bilateral de segurança para os próximos 10 anos. Permanecerá em vigor até que a Ucrânia adquira a tão esperada adesão à OTAN, disse Zelenskyy.

Source link

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button