Sports

Por que o Manchester City está sendo processado por uma empresa de roupas

Os jogadores do Manchester City usaram equipamentos de treinamento modificados para o aquecimento pré-jogo no domingo, após uma reclamação de violação de marca registrada da marca de moda Superdry no Tribunal Superior.

Descobriu-se na semana passada que o City está sendo processado por danos pelo uso das palavras Super Dry – um tipo de cerveja vendida por um de seus principais patrocinadores, Asahi – em seu kit de treinamento.

Algumas implicações imediatas tornaram-se aparentes: até quarta-feira, 3 de janeiro, dia em que a alegação de Superdry foi relatada pela primeira vez pela Law360, os jogadores do City usavam babadores, moletons e casacos com as palavras 'Asahi Super “Dry”' nos treinos e antes dos jogos.

Desde meados da semana passada, no entanto, e inclusive para o aquecimento antes do jogo da FA Cup contra o Huddersfield Town, no domingo, as roupas dos jogadores foram alteradas para 'Asahi 0.0%'.


O City usou tops de treino sem a marca ‘Super “Dry”’ no fim de semana (Clive Brunskill/Getty Images)

Mas com a Superdry, a marca de roupa sediada no Reino Unido, também a pedir uma liminar e danos financeiros, e até mesmo a opção de “destruir” o equipamento de treino da marca “Super “Dry” da City, haverá mais desenvolvimentos por vir.

Aqui, O Atlético explica o que sabemos até agora e o que pode vir a seguir.


O que Superdry quer e por quê?

Superdry alegou que a cidade “se beneficia injustamente” de “aproveitar os… registros bem conhecidos da Superdry” e argumenta que sua própria marca poderia ser “manchada” por itens de roupas de baixa qualidade vendidos pela cidade.

Ele também afirma que há potencial para sua marca ser afetada por “percepções negativas ou preconceitos do Manchester City Football Club nas mentes de, por exemplo, torcedores de clubes de futebol rivais” e diz que o uso da marca Super “Dry” pelo clube pode causar “danos a a reputação da Superdry”.

A Superdry alegou que “a aparência do kit (de treino) pode levar um número substancial de membros do público do Reino Unido a acreditar que o kit (de treino) é roupa desenhada ou vendida pela (Superdry)”.

Como resultado, a marca está buscando indenizações financeiras da City. É “atualmente incapaz de quantificar o valor financeiro exato desta reclamação”, de acordo com os documentos judiciais, mas pretende que esses danos “incluam… quaisquer lucros injustos obtidos pelo infrator em razão da infração”.

O valor do patrocínio do kit de treinamento do City com o Asahi não foi divulgado publicamente, embora tenha sido relatado que o parceiro anterior do clube, OKX, pagou US$ 20 milhões (£ 18,5 milhões) para a temporada 2022-23 e, portanto, especulou que o novo acordo cairia em um colchete semelhante.


Jogadores do City vestindo o equipamento de treino Super “Dry” no final de dezembro (Alex Livesey/Getty Images)

Superdry afirma que o City “lucrou muito substancialmente” com o acordo de patrocínio relacionado à marca no kit de treinamento e que “se envolveu em… atividades infratoras conscientemente e/ou com motivos razoáveis ​​para saber que Superdry era uma marca de roupas bem conhecida”. que não deu sua permissão.

Em novembro de 2023, Asahi ganhou um prêmio da agência de marketing The Drum por uma campanha que teve como objetivo, segundo artigo no site da The Drum, “elevar o status do kit de treinamento e incutir nele o mesmo nível de orgulho e simbolismo que o primeiro kit e o kit visitante”.

Após a aceitação do prêmio, Asahi disse que a campanha – que contou com Kevin De Bruyne e John Stones, entre outros – foi o conteúdo de patrocínio mais engajado do City na temporada até aquele momento, alcançando 19,87 milhões de visualizações e 428.000 interações em todo o mundo. mídia social.

Superdry também pediu ao tribunal que impedisse o City de usar ou vender quaisquer itens estampados com a frase 'Super “Dry”' e que o clube transferisse para a empresa todos esses itens, ou que os “destruísse ou modificasse”.

O que mais está nos documentos judiciais?

Em documentos apresentados em 15 de dezembro — e vistos por O Atlético — A Superdry pretende destacar a sua popularidade como marca, destacando as suas 98 lojas no Reino Unido, várias páginas de redes sociais bem seguidas e prémios conquistados, bem como listando celebridades como David Beckham, Neymar Jr e Kylie Jenner que usaram as suas roupas.

Também citou colaborações com bandas de rock Metallica, Sex Pistols, Iron Maiden e Motley Crue.

Os jogadores do City Julian Alvarez, Jack Grealish, Erling Haaland, Kyle Walker e Oscar Bobb também são mostrados usando equipamentos de treinamento estampados com a marca 'Super “Dry”' da Asahi, especificamente 'Super “Dry” Asahi 0.0%'.

Superdry argumenta que algumas das fotos demonstram que nem todas as palavras estarão sempre visíveis devido a “vários fatores, como o ângulo de visão e a postura física do usuário”. Uma das fotos mostra Haaland cobrindo inadvertidamente grande parte do logotipo “Asahi” em sua camisa de treino.

A marca também fornece exemplos de suas próprias roupas onde as palavras 'Super' e 'Dry' estão empilhadas umas sobre as outras, como foi o caso das roupas Asahi da City.

O City já parece ter feito alterações em seu equipamento de treinamento. Na última quarta-feira, o clube postou uma foto da atacante da seleção feminina Khadija Shaw treinando usando um meio zíper com os dizeres “Asahi 0,0%”. Na quinta-feira, surgiram mais imagens de jogadores do sexo masculino vestindo roupas com a mesma marca.

A última vez que os itens da marca 'Super “Dry”' estiveram publicamente visíveis foi durante a partida da Premier League contra o Sheffield United, em 30 de dezembro.

O City não comentou e não está claro quando foi informado da reclamação contra eles.

Quais são as implicações para a cidade?

A cidade anunciou em julho que a marca de cerveja Asahi Super “Dry” apareceria nos equipamentos de treinamento masculino e feminino ao longo de 2023-24.

Em comunicado da época, eles afirmaram: “Desde o início da parceria, a marca Asahi Super Dry foi integrada em diversas áreas diferentes, incluindo a reformulação da marca Asahi Super Dry Tunnel Club e a instalação mais ampla de tecnologia de ponta tecnologia em todo o Etihad Stadium para fornecer aos torcedores do City o sabor super seco japonês único.”

Esta afirmação refere-se apenas ao vestuário de treino e não à oferta de hospitalidade do clube de túnel do City.

Embora a própria marca Super “Dry” pertença à Asahi – e seja uma marca registrada em relação à publicidade de cerveja e não de roupas – o City se encontra no meio da reclamação porque possui e estava vendendo o produto com o texto contestado.

Não há data definida para novas audiências judiciais e não se sabe quando haverá uma resolução.

Superdry, Asahi e Manchester City não quiseram comentar.

vá mais fundo

VÁ MAIS FUNDO

Blingy, binky e fora de questão: como os protetores bucais de futebol se tornaram moda

(Principais fotos: Getty Images)



Source link

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button