Tech

CES 2024: uma mudança de vida! GyroGlove de alta tecnologia impede tremores da doença de Parkinson

Roberta Wilson-Garrett olhou para a luva mantendo a mão direita firme e sorriu. No momento, estavam os tremores causados ​​pela doença de Parkinson que afetavam seu controle muscular. Ela poderia fazer coisas que outros consideram certas, como escrever com clareza com uma caneta ou segurar uma xícara de café sem derramar. O alívio compartilhado pela canadense na Consumer Electronics Show (CES 2024) em Las Vegas veio graças a uma GyroGlove.

“É uma mudança de vida para mim”, disse Wilson-Garrett, descrevendo como o GyroGlove interrompeu os tremores que tornam tarefas aparentemente simples, como vestir-se, um desafio.

A GyroGear construiu o estabilizador de mão mais avançado do mundo, com parceiros estratégicos que incluem o grupo de tecnologia chinês Foxconn, de acordo com o fundador, Dr. Faii Ong.

A chave do GyroGlove é um giroscópio acoplado do tamanho de um disco de hóquei, mas com um disco interno que gira mais rápido do que a turbina de um motor a jato, de acordo com Ong.

“Essa luva é feita na mesma fábrica que fabrica os seus MacBook Pros”, disse Ong, referindo-se ao fato de a Foxconn ser fornecedora da superestrela do Vale do Silício, a Apple.

O plano é miniaturizar o giroscópio com futuras iterações da luva.

“Queremos desviar o foco da doença e voltar ao fato de que estamos falando de vida humana”, disse Ong.

“Isso é o que a tecnologia deveria fazer; é mais importante focar em nós mesmos como pessoas e entender como podemos realmente melhorar a vida das pessoas.”

Agora estamos no WhatsApp. Clique juntar-se.

– Cão-guia gadget –

A GyroGear, sediada em Massachusetts, fazia parte de uma série de empresas da CES que buscavam usar a tecnologia para melhorar a vida de pessoas com enfermidades ou deficiências

Startups como a Glidance e empresas fortes como a Amazon estavam entre as empresas aglomeradas numa secção do hotel e casino veneziano que exibiam tecnologia destinada a melhorar a vida das pessoas com deficiência.

O fundador da Glidance, Amos Miller, que perdeu a visão cedo na vida, demonstrou um dispositivo compacto de duas rodas que funciona como uma espécie de cão-guia para caminhantes que não conseguem ver.

O Glide pode receber um destino e indicar o caminho para alguém que segura sua alça, ou ser facilmente empurrado, detectando obstáculos e orientando os usuários por rotas seguras.

“Você simplesmente anda e as rodas irão virar”, disse Miller à AFP ao demonstrar o dispositivo.

“Posso dizer aonde ir se quiser, mas ele resistirá a que eu esbarre em qualquer coisa.”

A startup com sede em Seattle planeja lançar um programa beta para o Glide ainda este ano e torná-lo tão acessível quanto um smartphone.

Outra startup de Seattle chamada OneCourt criou o que parece ser uma réplica de um campo de futebol americano do tamanho de um brinquedo que converte atualizações em tempo real de uma partida esportiva em vibrações.

Os fãs de esportes com deficiência visual podem colocar a mão no campo falso para sentir a ação acontecendo em um jogo.

O dispositivo pode funcionar com uma variedade de esportes, incluindo tênis, hóquei e futebol americano.

“Estamos entusiasmados por tornar os esportes ao vivo mais acessíveis para pessoas com deficiência visual”, disse o presidente-executivo da OneCourt, Jerred Mace.

“Basicamente, tentando aproximar as pessoas da ação.”

As vibrações no dispositivo fornecem uma noção de fatores como a velocidade com que uma bola ou disco está se movendo, onde os jogadores estão no campo e como estão manobrando.

Mace espera que o dispositivo ainda a ser lançado seja disponibilizado por meio de parcerias com times ou ligas, gratuitamente para uso por torcedores com deficiência visual nos jogos.

As inovações expostas na CES incluíram óculos para cegos repletos de tecnologia da Lumen que permitem aos usuários saber onde é seguro caminhar, evitando até mesmo poças de água.

Havia óculos com armação que funcionavam como aparelhos auditivos, bem como óculos para compensar deficiências visuais ou mesmo dislexia.

As ofertas da Orcam, com sede em Israel, incluíam scanners portáteis que leem e até traduzem textos para estudantes com dificuldades de aprendizagem ou jovens imigrantes que estão apenas aprendendo inglês.

“Acessibilidade é o melhor uso da tecnologia”, disse Avi Greengart, analista da Techsponential.

Além disso, leia estas notícias principais de hoje:

O Google violou patentes de IA? Google acusado de infringir patentes e de usar a tecnologia para potencializar recursos de IA na Pesquisa Google, Gmail e Google Tradutor. Alguns detalhes interessantes neste artigo. Confira aqui.

A IA não servirá apenas para ajudar a melhorar o Microsoft Office“. A Microsoft diz que a IA ajudará os pesquisadores a acelerar o trabalho meticuloso necessário para descobrir novos compostos químicos e materiais. Mergulhe e veja o que ela acabou de fazer aqui.

Uma TV invisível! A LG diz que a TV fica “praticamente invisível quando desligada”, acabando com a feia e grande tela preta que pode arruinar o feng shui de uma sala.

Confira o futuro da TV aqui. Achou interessante? Vá em frente e compartilhe com todos que você saber.

Source link

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button